EN PT
DevOps – SHIFT LEFT e SHIFT RIGHT

DEVOPS

SHIFT LEFT – SHIFT RIGHT

Os workloads deixam de ser estáticos (baseados em  software e o hardware) e tornam-se dinâmicos.  E isto é feito com a construção de novos modelos de trabalho e automação, incluindo: novas formas de desenvolvimento de aplicações, novas formas de conexão baseado em ips dinâmicos, novas formas de provisionamento e novas formas de segurança embarcada baseada na identidade máquinas, serviços e aplicações.

DevOps - SHIFT LEFT / SHIFT RIGHT

DevOps é uma metodologia de desenvolvimento de software que utiliza a cultura, automação e design para integrar desenvolvedores infraestrutura de TI, isto é: “desenvolvimento” e “operações”.

Muitas empresas liberam novas versões de software com grande periodicidade, e, para conseguir a agilidade necessária para colocar as aplicações em produção, é imprescindível considerar as orientações DevOps. O DevOps inclui segurança, maneiras colaborativas de trabalhar, análise de dados e muitas outras práticas e conceitos.

Essa metodologia ficou conhecida como implementação contínua ou entrega contínua porque, ao padronizar ambientes de desenvolvimento, também auxilia as empresas no gerenciamento do lançamento de novas versões, além de controlar e de documentar, e facilitar a operação.

Esta nova metodologia, também trás inerente a ela, uma nova arquitetura técnica de processamento de dados (workload),  feita para funcionar na cloud  (public, private, hybrid), desacoplada da infraestrutura, baseada em microservices e orchestrada por updateability, scaling and resilience.

À medida que mais equipes abraçam os desafios da entrega contínua e DevOps,  aparece um novo conceito importante, sobre  “shift-left” ou “mudar para a esquerda” e  “shift-right” ou “mudar para a direita”.

E então, quer bater um papo e compartilhar nossos casos de uso?

Projetos no modelo  “cascata” em meados da década de 1980, parecia ser bem razoável na época,  começar com uma análise completa do sistema a ser construído, descobrindo o que os clientes queriam.  Com o advento de um mundo de software muito mais competitivo e dinâmico,  com o surgimento das abordagens de desenvolvimento ágil.

Começamos a dividir os recursos em pedaços gerenciáveis. Toda a equipe de entrega trabalha  em estreita colaboração com os clientes para entender o que eles queriam e entregavam de forma incremental e iterativa. Começamos a aprender várias maneiras de criar qualidade em nossos produtos ao abraçarmos as práticas e princípios do Agile e DevOps.

Quando as pessoas dizem “mudar para a esquerda”, iniciamos cada novo recurso perguntando por que queremos construí-lo e depois como planejamos testá-lo. Testamos as novas idéias! Neste contexto, automação de todas as tarefas de desenvolvimento, provisionamento e mesmo segurança embarcada no processo, agilizam a entrega destes primeiros releases.

Dentre os principais domínimos da mudança para esquerda, buscamos principalmente a higienização dos serviços, isto é: RBAC, Minimal OS, Compliance Checks, Vulnerability scanning, Compliant configuration e Approved base images

Ao “mudar para a direita”,  estamos dando um foco maior na Ops do DevOps; eles vão monitorar, observar, analisar dados de log e “testar em produção”. O DevOps chamou nossa atenção para a necessidade de continuar testando mesmo quando as novas alterações são implantadas na produção.

À medida que aprendemos com os dados sobre o uso da produção, usamos esse feedback para orientar as alterações subseqüentes. E aqui, buscamos contenção e prevenção , isto é:  Image acceptance, Run with least privileges, Network controls, Container immutability, Application context authorization e Immediate incident response